A exclusão da entidade “Centro Social vila Primavera”, na região da Usina de Estreito, da relação de entidades que recebem recursos contratadas pelo Município, decorreu da fiscalização realizada pela Comissão de Avaliação da Prefeitura de Pedregulho, após minuciosa avaliação de documentos e atividades da referida entidade.

De acordo com relatório que baseou a medida de suspensão e exclusão da entidade a Comissão constatou inúmeras irregularidades, dentre elas, o mau uso do dinheiro público e descumprimento do objeto contratado, cujos maiores prejudicados foram as crianças que ali deveriam ser atendidas.

A Comissão, através de seu presidente, o Procurador Jurídico do Município de Pedregulho, Rodrigo Pereira Martins, esclareceu que os funcionários que trabalhavam para o Centro Social Vila Primavera, não eram servidores da Prefeitura ou de qualquer entidade existente no Município.  Os funcionários eram contratados pela própria entidade e não têm como não tinham nenhum vínculo com a Prefeitura. Assim, quem deve informar aos funcionários sobre sua situação ou novo local de trabalho é o próprio Centro Social da Vila Primavera, que, repita-se, não é entidade governamental.

A Comissão informou ainda que Departamento Jurídico do Município está disponível para quaisquer esclarecimentos sobre a forma técnica que recomendou a punição da entidade em virtude dos desmandos ali constatados, estabelecendo-se a verdade definitiva sobre todo o processo.